Vimeo ganha análise automática de áudio e vídeo protegido por direito autoral

A rede de vídeos Vimeo vai passar a analisar vídeos publicados pelos seus usuários em busca de violações de direitos autorais. Segundo o concorrente do YouTube, a nova ferramenta vai garantir que somente conteúdo autoral seja publicado pelos usuários, ao mesmo tempo em que dá uma chance para explicações em caso de detecção de infração antes de qualquer punição ou atitude mais drástica.

Uma possibilidade é que a pessoa realmente tenha direitos sobre o conteúdo, total ou parcialmente. Nesses casos, a equipe do Vimeo deve checar a informação com o dono da música ou vídeo e liberar ou não o uso da mídia. Além disso, há casos de “uso justo” do conteúdo segundo quatro critérios-base (propósito, natureza, quantidade e efeito). Portanto, após análise mais minuciosa, o usuário pode ter seu vídeo mantido mesmo sem ter direitos sobre músicas ou gravações de terceiros.

Caso o uso não seja liberado, o dono do canal poderá substituir o conteúdo usando a biblioteca de músicas gratuitas disponível ou simplesmente excluir o material.

Dessa maneira, o Vimeo acredita ser mais justo tanto com os usuários do serviço quanto com os detentores dos direitos autorais (incluindo artistas, gravadoras e autores de obras multimídia) – vale lembrar que o YouTube pode ser bem mais restritivo, excluindo materiais sem anúncio prévio aos donos do canal.

Contas privadas 

Seguindo algumas reclamações dos usuários, o Vimeo suspendeu por tempo indefinido o rastreamento automático em vídeos postados por contas privadas usando planos Plus e PRO. Com isso, a intenção é evitar que vídeos postados para fins de revisão do cliente (em casos de agências e editores de vídeo), ou seja, que ainda não têm os direitos adquiridos mas podem tê-los no futuro, sejam bloqueados.

A solução, no entanto, ainda não é definitiva. Segundo um comunicado, o Vimeo reservará regras em breve para regular esse modo de uso de conteúdo protegido, portanto a tendência é que a ferramenta de rastreamento seja também adaptada para contas privadas. Atualmente, contas públicas comuns são totalmente escaneadas em busca de áudio ou vídeo pirateado e protegido por direitos autorais.

Fonte: Techtudo

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *