Requisições de registro de marcas da Copa começaram há 3 anos, quando Brasil ainda queria ser sede

Entidade também se mexe para identificar quem tenta estabelecer ligação com o evento sem autorização e busca acordo extrajudicial.

Manhã de 2014. Após acordar, um brasileiro toma banho, bebe café, alimenta o cão e dirige o carro até o trabalho. No escritório, acessa o computador e o sistema de mensagem com paradas para almoço com carne e uma água com gelo. De volta à casa, dá comida para o bebê e põe suas lentes de contato em líquido antes de dormir.

Em todas essas ações o cidadão poderá usar produtos oficiais da Copa do Brasil-2014, com licenças e ganhos da Fifa.

A entidade já pediu o registro de 60 marcas alusivas ao evento ao Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), incluindo produtos e serviços. O objetivo é lucrar ao receber de empresas que explorem as marcas em váriados itens.

As requisições começaram em 2007, com o país ainda candidato. Mas foi no segundo semestre de 2009 que a Fifa iniciou, de fato, uma ofensiva pesada para proteger a si e a seus parceiros comerciais do marketing de emboscada – exploração da marca por empresa que nada pagou à entidade.

Desde o final do ano passado, o Inpi começou a confirmar os pedidos de registro referentes ao Mundial. A lista inclui sabonete, café, comida para animais, óleo para motor, hardware de computadores e mensagens eletrônicas, carnes, gelo, alimentos para crianças e medicamentos oftalmológicos.

Reserva de Mercado

Alguns itens que não podem ser explorados com a marca Brasil-14 sem autorização da Fifa.

Alimentos

  • café
  • chá
  • cacau
  • açucar
  • mel
  • cereais
  • pão
  • massas
  • bolo
  • biscoitos
  • balas/doces
  • sorvetes
  • confeitos
  • arroz
  • mostarda
  • molhos (condimentos)
  • temperos
  • sal
  • vinagre ou temperos
  • tapioca
  • produtos vitamínicos
  • refrigerantes
  • águas minerais e gasosas
  • outras bebidas não alcoólicas
  • bebidas isotônicas
  • cervejas

Saúde

  • aparelhos
  • intrumentos médicos
  • produtos farmacêuticos

Mídia

  • revelação de filmes para cinema e fotográficos
  • ampliação e impressão de fotografias
  • licenciamento de propriedade intelectual
  • gerenciamento de direitos autorais (copyright) de gravações de filme e vídeo de som e imagens.
  • Serviços e consultoria na área de computadores
  • artigos eletrônicos

Serviços

  • cartão de crédito
  • bancários
  • automotivos
  • telecomunicações
  • restaurante
  • hotelaria
  • agências de viagens

Automotivo

  • lubrificantes
  • óleos e combustíveis
  • bicicletas
  • veículos em geral

Acessórios

  • fitas
  • botões
  • agulhas
  • caixas de costura
  • broches para roupas
  • alfinetes
  • joias
  • pedras preciosas e relógios

Têxteis

  • roupas
  • calçados e artigos esportivos
  • artigos de banho e têxteis
  • couro e imitação de couro

Educação

  • educação e treinamento

Utensílios

  • ferramentas e instrumentos manuais
  • jogos e brinquedos
  • material de escritório
  • instrumento musicais
  • carpetes
  • tapetes e capachos
  • espelhos
  • estátuas e estatuetas cosméticos

Fonte: Jornal Folha de São Paulo

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *