Universidades e instituições públicas impulsionam patenteamento no Brasil

As universidades, instituições públicas e empresas estatais foram as principais responsáveis pelo avanço dos pedidos de patentes no País. É o que mostra o estudo “Principais titulares de pedidos de patente no Brasil, com prioridade brasileira, depositados no período de 2004 a 2008”. 

Realizado pelas pesquisadoras Cristina D’Urso de Souza Mendes, Luci Mary Gonzalez Gullo e Rafaela Di Sabato Guerrante, todas do INPI, o estudo produziu um ranking das instituições mais inovadoras do País, dando sequência ao levantamento anterior, que ia de 1999 a 2003. O trabalho realizado pelo INPI ganhou destaque na edição de 1º de agosto da Revista Época.

Ao comparar as duas listas, observa-se que o total de pedidos dos dez primeiros colocados passou de 1.116 para 1.787, ou seja, variação de 60%. Entre os dois estudos, também se observa que o número de universidades, instituições públicas e empresas estatais subiu de quatro para oito, entre os dez primeiros.

Quem lidera o novo ranking é a Petrobras, com 388 pedidos, seguida por Unicamp (272), USP (264), Whirlpool (174), UFMG (154), UFRJ (141), Fapesp (129), Semeato (114), CNEN (83) e Fapemig (68). Vale acrescentar que o trabalho mais recente passou a focar os titulares dos pedidos, e não os depositantes.

Parcerias

De modo geral, o avanço das universidades reflete um resultado positivo da Lei de Inovação, que é justamente de 2004. Embora muitas instituições acadêmicas ainda estejam longe desta realidade, as líderes do ranking refletem um novo cenário de parceria: a Unicamp é co-titular de pedidos de patentes com 15 empresas; a USP, com 14; a UFMG, com sete; e a UFRJ, com seis.

Tais parcerias servem não apenas para levar novos produtos e processos ao mercado, mas também para estimular o desenvolvimento de novos negócios e da economia local, devido à cadeia produtiva que se forma em torno das instituições de pesquisa. O desafio é ampliar este fenômeno e levá-lo a todo o Brasil.

Fonte: INPI

 

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *