Morre o inventor do fuzil AK-47, o mais usado no mundo

Mikhail Kalashnikov lutou na Segunda Guerra Mundial e projetou mais de 150 modelos de armas

Mikhail Kalashnikov, um dos inventores de armas mais famosos do mundo, segurando o AK-47 (Foto: Vladimir Vyatkin/Arquivo/AP)

Mikhail Kalashnikov, um dos inventores de armas mais famosos do mundo, segurando o AK-47 (Foto: Vladimir Vyatkin/Arquivo/AP)

AK-47 é uma sigla conhecida em guerras e conflitos armados. É uma combinação das iniciais do nome do fuzil, “Avtomat Kalashnikova”, e o ano em que a arma começou a ser produzida, 1947. Com o tempo, se tornou a mais usada do mundo. Nesta segunda-feira (23), seu inventor, o russo Mikhail Kalashnikov, morreu aos 94 anos em um hospital da república russa da Udmurtia.

“Hoje nos chegou uma triste notícia: após uma longa e grave doença morreu aos 94 anos de idade o lendário projetista de armas de fogo Mikhail Timofeyevich Kalashnikov”, escreveu em sua página no Facebook Victor Chulkov, porta-voz do presidente e do governo da Udmurtia.

Neste ano, o projetista de armas foi frequentemente internado por diferentes problemas de saúde. Estava desde 17 de novembro no Centro Clínico e Diagnóstico da República da Udmurtia, onde se submeteu a tratamentos intensivos por causa de uma hemorragia estomacal.

Quando servia no exército da União Soviética, durante a Segunda Guerra Mundial, Kalashnikov chegou a ir para os campos de batalha, onde foi ferido pelos alemães. Depois de recuperado, por seu porte físico pequeno e habilidades técnicas, foi transferido para o setor de desenvolvimento de armas. Criou o AK-47 aos 28 anos, inspirado no fuzil de assalto alemão Sturmgewehr 44.

A arma russa se tornou popular por ter manutenção relativamente simples e ser muito resistente a condições adversas, como água e areia. O baixo custo também impulsionou a produção. O exército russo anunciou em 2011 que deixaria de comprar fuzis Kalashnikov por excesso de reservas em seus arsenais. Estima-se que 100 milhões de AK-47 estejam em uso em todo o mundo desde sua invenção.

O inventor nunca recebeu dinheiro por sua criação e passou os últimos anos da vida em um apartamento de um quarto na cidade de Izhevsk, vivendo da pensão do exército e dos direitos pelo uso do seu nome em produtos como vodkas e guarda-chuvas.

No final de outubro, Kalashnikov escreveu uma carta ao presidente russo, Vladimir Putin, para denunciar a má gestão da fábrica de armas russa, onde ele trabalhou por muitos anos. Mais de 150 modelos de armas pequenas foram projetadas por ele.

Kalashnikov disse em 2007, no 60º aniversário do registro oficial de seu fuzil na União Soviética, que os nazistas, ao invadirem a Rússia na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) foram os verdadeiros responsáveis pela invenção porque sua autêntica vocação era desenhar maquinários agrícolas. Ele foi questionado sobre sua contribuição para crimes e mortes no mundo todo. “Eu durmo bem. São os políticos os culpados pela falta de acordo e pelo recurso à violência”, disse.

Fonte: Época

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *