Marca Rio 2016 é envolvida em suspeita de plágio

A imagem que representa os Jogos Olímpicos Rio 2016 já está envolta em uma polêmica. A logomarca criada pela Tátil lembra em muito a de uma ONG americana, a Telluride Foundation, localizada na cidade de mesmo nome, no Colorado, nos Estados Unidos. Apesar de reconhecerem a semelhança, os criadores da logomarca brasileira negam a suspeita de plágio.

A reportagem ainda não conseguiu entrar em contato com Fred Gelli, criador da logomTarca. Ao Globoesporte.com ele afirmou que as semelhanças não podem ser negadas, mas negou qualquer ponta de plágio no processo de criação do logotipo. Ele reconheceu traços parecidos com a marca da ONG americana, mas reforçou que uma pesquisa de seis semanas foi realizada para evitar este tipo de acusação.

“Nunca tínhamos visto essa marca. No processo, fizemos uma pesquisa enorme em busca de semelhanças e referências que pudessem ser conflitantes. Essa, por alguma razão, passou batida. Existem outras com o mesmo conceito. Quando estamos falando de um grupo de pessoas se abraçando, é uma referência ancestral, está no inconsciente coletivo. Existe na arte rupestre, na arte indígena, espalhada em diferentes expressões artísticas. Mas achamos isso muito positivo. Quando decidimos optar por uma marca humana, queríamos traduzir o jeito carioca de ser, de abraçar quem chega. O brasileiro é o único do planeta a ter a cultura de abraçar quem nunca viu direito. Isso é absolutamente encantador. E o espírito olímpico fala da união dos povos. O princípio da nossa marca é esse”, afirmou o diretor ao Globoesporte.com.

A imagem que representará os Jogos do Rio 2016 também foi comparada ao quadro “La Danse”, de Henri Matisse, e à logomarca do carnaval de Salvador de 2004, esta praticamente igual à da Telluride Foundation.

Fonte: Exame

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *