Cresce número de cadastros de patentes no Oeste Paulista

Caneta gabarito e novo tipo de bloco de construção já foram registrados. Região de Presidente Prudente segue tendência nacional de investimentos.

Criar algo novo e comercialmente atraente, estabelecer um relatório com todas as especificidades técnicas do produto e encaminhar um pedido ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Esse é, de forma simplificada, o procedimento para conseguir registrar uma patente, ou seja, obter uma concessão pública de propriedade que permite usufruir dos lucros com a venda da invenção. Apenas em uma das empresas que auxiliam empreendedores a conseguirem cadastrar seus novos produtos na região de Presidente Prudente, foram cerca de 250 novos pedidos em todo o Oeste Paulista. A tendência, segundo ele, é de crescimento.

Conforme o diretor do local, Paulo Soares*, a cada ano, aumentam as requisições de registros de patentes. “É uma tendência mundial. Quem desenvolve novas ideias já tem a consciência de que é preciso preservá-las para gerar um retorno financeiro”, declara.

Registros
Conforme o diretor* da empresa que auxilia empreendedores, existem três tipos de patente. São elas: de invenção, com validade de 20 anos antes de assumir domínio público; modelo de atividade, com prazo de 15 anos; e registro de desenvolvimento industrial, que dura 10 anos e podem ser prorrogados em até três períodos de mais cinco anos.

Soares* ainda explica que não é necessário um advogado para requerer um protocolo de patente. Os interessados em saber mais sobre como realizar os procedimentos podem acessar o site do INPI.

Veja a matéria na íntegra aqui.

Fonte: G1

* Paulo Soares é diretor da Vilage Marcas e Patentes de Presidente Prudente/SP.

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *