Brasil critica pedido de domínio da Amazon

Para países latinos, endereço pode ser utilizado em alusão ao rio e floresta Amazônica para promover políticas de proteção ambiental e interesses sustentáveis

Governos dos países da América do Sul, incluindo o Brasil, estão disputando com a empresa online Amazon os direitos sobre o domínio de endereço web “.amazon”.

O endereço é apenas mais um na lista de pedidos da Amazon para o registro de domínios na ICANN (Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números), instituição responsável pela alocação de espaços e endereços IP na internet.

Segundo o jornal The Guardian, os governos da América do Sul – em especial o Brasil e o Peru – estão insatisfeitos com o pedido de domínio “.amazon” e solicitaram que o ICANN retire-o da lista.

Para os países latinos, este endereço pode ser utilizado em alusão ao rio e floresta Amazônica, para promover políticas de proteção ambiental, além de outros interesses sustentáveis.

O Brasil e o Peru enviaram uma reclamação oficial a ICANN, argumentando que o domínio em questão pode ser associado a problemas envolvendo a região.

“Garantir direitos exclusivos para uma empresa privada pode impedir o uso deste domínio para fins de interesse público relacionados à proteção, promoção e sensibilização de questões relacionados ao bioma da Amazônia. O mesmo poderia também impedir o uso deste endereço para páginas web relacionadas à população que habita a região”, disseram os países na queixa enviada a ICANN.

A cada ano, a ICANN recebe dezenas de solicitações para a criação de novos domínios. Dentre os sufixos solicitados pela Amazon estão também “.book”, “.author” e “.read”, além do “.amazon”. Os domínios vêm sendo criticados por governos e associações relacionadas como uma ameaça à competição.

De acordo com o jornal, além do Brasil e Peru, países como a Bolívia, Colômbia e Venezuela assinaram um “Tratado de Cooperação Amazônica” que solicita, entre outros assuntos, a não liberação do domínio à Amazon. O pedido formal foi protocolado na ICANN em novembro de 2012.

Além do domínio “.amazon”, outras disputas envolvendo endereços reclamados por países como o “.patagonia” e “.shangrila” devem ser discutidos durante uma reunião da ICANN na América do Sul em julho deste ano. Se forem aprovados, os domínios podem surgir na internet até o final deste ano.

Fonte: Exame

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *