Apple entra com processo contra Qualcomm de US$ 1 bilhão

Apple entra com processo contra Qualcomm de US$ 1 bilhão

Processo acontece dias após o governo norte-americano acusar a fabricante de chips de práticas anticompetitivas

Uma disputa desagradável entre a Apple e a Qualcomm entrou em cena na última sexta-feira (20) quando a fabricante de smartphones acusou a fabricante de chips de cobrar taxas de licenciamento “exorbitantes” por sua tecnologia celular. A Apple está pedindo a um tribunal da Califórnia o pagamento de US$ 1 bilhão a serem pagos pela Qualcomm.

O processo acontece dias após o governo norte-americano acusar a gigante de chips de práticas anticompetitivas para manter o monopólio sobre seus semicondutores de celulares.

A ação alega que a Qualcomm cobra altas taxas de licenciamento para as empresas que fabricam iPhones para a Apple. Essas empresas passam as taxas para a Apple, no entanto elas não estão autorizadas a mostrar à empresa de Cupertino as especificações dos acordos de licenciamento, deixando a Apple sem saber o que está pagando.

“Por muitos anos, a Qualcomm tem insistido injustamente em cobrar royalties por tecnologias que não têm nada a ver”, disse a Apple em comunicado. “Quanto mais a Apple inovar com recursos exclusivos como TouchID, displays avançados e câmeras, para citar apenas alguns, mais dinheiro a Qualcomm coleta sem motivo e mais caro se torna para a Apple financiar essas inovações”.

A ação acontece apenas a alguns meses depois que a Apple começou a usar chips de rádio Intel em algumas unidades do iPhone 7. E segue duas ações legais recentes de reguladores antitruste contra as práticas de licenciamento da Qualcomm.

Em dezembro, reguladores antitruste na Coréia do Sul arrecadaram uma multa de US$ 854 milhões contra a Qualcomm por práticas de licenciamento. A Qualcomm prometeu recorrer da decisão.

Na semana passada, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) seguiu com alegações próprias: que a Qualcomm havia se envolvido em práticas anticompetitivas, forçando alguns fabricantes de telefones a aceitarem termos de licenciamento desfavoráveis ​​e dando uma pausa à Apple em troca de exclusividade.

A Apple cooperou com a investigação sul-coreana, alegando na última sexta-feira que a Qualcomm reteve quase US$ 1 bilhão em descontos como punição por isso.

Em resposta ao processo da FTC, a Qualcomm negou ter feito qualquer coisa do tipo e disse que o processo da comissão é “significativamente falho”.

“A Qualcomm nunca recusou ou ameaçou recusar a oferta de chips para obter um acordo com condições de licenciamento injustas ou irracionais”, disse em comunicado. “Ao contrário, a alegação da FTC – a tese central da queixa – é errada.”

Fonte Matéria e Imagem: IDGNOW!

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *