AMC Têxtil e Tufi Duek travam disputa judicial

A catarinense AMC Têxtil, uma das maiores empresas de moda do país, trava uma disputa judicial com o estilista Tufi Duek, de quem comprou três marcas em 2008. O processo, que corre no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, já contém decisão liminar, determinando a retirada da marca Tufi Duek de folhetos, catálogos, placas e produtos da grife Carina Duek.

O juiz Tom Alexandre Brandão, da 2ª vara cível, também mandou recolher produtos carimbados com a marca Tufi Duek. O descumprimento pode acarretar multa de R$ 500 mil.

A AMC decidiu recorrer à Justiça depois que o estilista apareceu na revista “Vogue”, em março, dizendo que estava de volta ao mundo da moda, em parceria com a filha Carina Duek, depois de cumprir uma quarentena de cinco anos, acordada com a AMC. De fato, o contrato entre AMC e Tufi diz que este não poderia atuar como estilista de 2008 a 2013.

Mas a reclamação central da AMC não é esta, mas o fato da marca Tufi Duek estar sendo usada pela grife de moda Carina Duek. A empresa Sunrise, que tem Tufi, Carina e outros membros da família Duek como sócios, também é citada no processo. Em 2008, o estilista, além de vender a marca que leva seu nome, vendeu as marcas Triton e Forum, criadas por ele.

A liminar não foi cassada e o estilista Tufi Duek já foi intimado em sua casa no dia 1º de abril, conforme o site do tribunal. Os Duek entraram no dia 3 de abril com um pedido de reconsideração ao juiz Brandão. Se este decidir manter sua decisão, os Duek podem recorrer ao tribunal. A AMC é representada no processo pelo advogado André Mendes do Espírito Santo, da LO Baptista Advogados. Os Duek, por Marcelo Junqueira Inglez de Souza, da Demarest. O Valor PRO tentou contato com eles, mas não conseguiu.

Fonte: Valor econômico.

Publicações relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *